Seguro pecuário: cuide do seu patrimônio e deixe seu rebanho protegido

Investir em seguro pecuário é uma forma que o pecuarista tem de proteger o seu patrimônio, pois ele cobre danos causados de maneira direta ou indireta, aos animais.

Pode ser contratado o seguro pecuário para o rebanho destinado ao consumo e/ou produção, que estejam na cria, recria ou engorda.

Também é possível assegurar animais que realizam trabalhos dentro da propriedade, como tração e transporte de materiais, usados durante o manejo.

Se encaixam ainda, dentro do seguro pecuário, animais destinados a reprodução, que tenha a única finalidade de ampliar o rebanho.

Entre as espécies mais comuns estão: bovinos, bubalinos, ovinos, caprinos, asininos, muares e suínos.

A Rural Pago é uma plataforma tecnológica multinegócios que oferece uma vasta gama de produtos e serviços financeiros voltados para facilitar e desburocratizar a vida do produtor rural.

Entre os produtos oferecidos está o seguro pecuário, pois acredita na importância de investir, com segurança e tranquilidade, no seu patrimônio formado por animais.

Para saber mais sobre o seguro pecuário e fazer simulações, basta entrar em contato com a nossa equipe através do ruralpago.com/seguros

Seguro Pecuário

Através do seguro pecuário é possível ser ressarcido em caso de morte dos animais, seja por algum acidente ou doença.

Entre as coberturas oferecidas estão:

Mas o seguro pecuário ainda não cobre casos de roubos ou furtos de animais.

Lembre-se que, diante do incidente, será preciso confirmar o que realmente houve, ou seja, comprovar o motivo para o ressarcimento.

Para que não tenha surpresas desagradáveis, é fundamental estar atento para as particularidades de cada apólice e o que está, de fato, sendo contratado.

Busque por empresas sérias, comprometidas e conhecidas por honrarem seus contratos.

O seguro pecuário pode ser aplicado a todo o rebanho, ou apenas ao chamado gado de elite que, devido ao seu valor de mercado, precisa dar essa tranquilidade ao seu proprietário.

Seguro Pecuário ou de Animais?

A Susep – Superintendência de Seguros Privados, explica que existem diferenças entre seguro pecuário de seguro de animais. Sendo que o primeiro é definido como uma modalidade do seguro rural, já o segundo não faz parte dessa modalidade.

O seguro de animais é voltado aos animais classificados como de elite (aptos a participarem de torneios), domésticos (de convívio familiar ou que desenvolvam tarefas de um cão-guia) ou para segurança (atuam como segurança).

Já o seguro pecuário, por estar enquadrado dentro do seguro rural, tem isenção tributária irrestrita de quaisquer impostos ou tributos federais, nos termos do art. 19 do Decreto-Lei 73/66, e isso não ocorre com o seguro de animais.

Mercado em Expansão

O seguro pecuário ainda é desconhecido por muitos, mas, devagar, tem ganhado espaço.

Dados do Atlas do Seguro Rural, do Mapa – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento apontou que, em 2020 houve um crescimento de 385% de apólices de pecuária, comparado com 2019.

Ainda assim, foi pouco mais de 1.700 contratos, um número muito baixo diante da grandiosidade e força do segmento.

Um dos responsáveis por impulsionar a busca por esse tipo de produto é o PSR – Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural.

Junto a isso vem à conscientização dos pecuaristas, sobre a necessidade de garantir que os altos investimentos feitos em seu plantel não fiquem tão expostos a riscos.

Lembre-se que o seguro é uma forma de deixar os seus negócios protegidos. Não é um gasto, mas um investimento, especialmente para quem vive exclusivamente do setor.

Avalie a valor comercial de alguns dos seus animais, que sejam especialmente fundamentais para o crescimento e estabilidade do seu negócio, ou mesmo o rebanho como um todo, e considere fazer um seguro pecuário.

Fontes: Rural Pago; Susep; Canal Rural; Modestti&Pittol; Revista Apólice;  Seguros Inteligentes; e Mapfre.

Empreender no agronegócio: conhecer o mercado é sinônimo de sucesso

Empreender no agronegócio é uma tendência que segue em alta e um dos motivos é a solidez do segmento e seu crescimento constante.

Ainda em uma época de tantos desafios econômicos, o setor conseguiu seguir crescendo e gerando lucro para toda a sua cadeia produtiva.

Isso tem feito muitas pessoas optarem por empreender no agronegócio, seja uma nova geração que está chegando agora ao mercado de trabalho, pessoas que estão buscando mudar de área ou diversificar os investimentos e, ainda, quem já atua no ramo, mas quer expandir.

De acordo com estudo da Nasa, o Brasil conta com mais de 64 milhões de hectares de terra para plantio.

Até poucos anos, empreender no agronegócio podia significar apenas o plantar e colher, passar o dia na propriedade, lidar com a terra e o gado, e fazer uma administração tradicional, mas hoje a realidade é outra.

Tecnologia ambiental estimula menor degradação dos recursos naturais

A tecnologia está cada vez mais avançada e segue conquistando espaço dentro e fora da porteira, aliás, engana-se quem pensa que empreender no agronegócio é ficar apenas no campo.

Existem empresas inteiras que estão dentro da cadeira produtiva do agronegócio e muito bem instaladas nos centros urbanos. Um exemplo são as startups, que tem como foco o desenvolvimento de ferramentas para impulsionar o segmento.

Aplicativos, softwares, soluções para a gestão, para as maquinas e uma série de possibilidades que facilitem a rotina e aumentem a produtividade, não param de surgir.

Para quem está chegando agora uma das principais dicas é que, empreender no agronegócio, assim como em qualquer outro ramo, exige capacitação.

Quem apenas quer seguir o modismo corre um grande risco de prejuízo, por isso, estude, faça cursos, entenda o mercado, se atualize, para que assim se torne mais viável atingir o sucesso.

Também é preciso ter afinidade com o agronegócio, pois sem isso fica difícil empreender e se realizar dentro do mercado de trabalho.

Ainda que existam muitos nichos e possibilidades de entrar no segmento, gostar daquilo e ter um olhar mais abrangente, de como funciona o todo, é algo que deve fazer parte dos seus interesses.

Empreender no Agronegócio

Confira outras sugestões para empreender no agronegócio de forma dinâmica, assertiva e com alta chance de sucesso:

Sei que você pode estar pensando: mas um futuro concorrente vai querer me desanimar, e isso pode ser verdade, ou mentira.

Então, converse com mais de uma pessoa, ouça o que elas relaram de bom e os desafios, se todos apontarem dificuldades parecidas, fique atento, porque a chance de ser verdade é grande.

Órgãos oficiais costumam ser as fontes mais confiáveis e um deles é a Embrapa – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária.

Olhe em volta, veja outros desafios e os transforme em oportunidades.

Desafios de empreender no agronegócio

Atualmente existem os chamados gargalos do mercado e é importante ficar atendo. Um dos grandes desafios de empreender no agronegócio é saber a importância de equilibrar o crescimento da produção, sem causar a saturação dos recursos naturais.

O estresse hídrico e fatores climáticos em geral estão em alta. Soluções que possam ser um contraponto serão bem-vindas.

O armazenamento e distribuição de produtos também são fatores relevantes, com muitas oportunidades em aberto. Que tal investir?

Por exemplo, se você vai desenvolver algo exatamente no campo, foque em uma propriedade menor, com uma plantação mais enxuta, ou com menos cabeças de gado, e vá crescendo, ganhando estabilidade e lugar no mercado.

Isso também serve de conselho para qualquer outro segmento onde você pretenda empreender no agronegócio.

Agora que você já conhece as principais dicas, é avaliar o que melhor lhe cabe e trabalhar muito, pois assim será possível empreender no agronegócio e alcançar o sucesso.

Fontes: Faculdade FGI; Agro 2; Brasil Agro; Revista Cultivar; Neo Mondo; Whow; e Diário do Comércio.

Conheça os principais tipos de crédito rural e saiba como usá-los

O crédito rural é uma oportunidade que o produtor tem de buscar recursos para expandir os seus negócios. Existem diferentes tipos de crédito rural e eles funcionam como se fossem um financiamento, tendo como principal objetivo fortalecer o agronegócio.

Mas além do campo, os tipos de crédito rural atendem também a cadeia produtiva, podendo incluir armazenamento, beneficiamento e até mesmo a industrialização de produtos agropecuários.

Além de proporcionar uma melhoria da produção, ele é capaz de aumentar a produtividade, possibilitar a aquisição de terras e maquinários e estimular a geração de renda de forma geral, inclusive dentro da agricultura familiar.

O crédito rural pode ser solicitado tanto por pessoas físicas como jurídicas, sendo que cooperativas também estão inclusas.

Tipos de Crédito Rural

Entenda mais sobre os diferentes, e principais, tipos de crédito rural.

Crédito de custeio – é destinado a custear atividades rurais diversas, entre elas estão insumos, sementes, produção de mudas, animais e até vacinas que serão usadas nesses animais.

Vai do ciclo produtivo de lavouras periódicas, até a entressafra de lavouras permanentes, passando pela extração de produtos vegetais e exploração pecuária.

Sua abrangência:

Crédito de investimento – se destina a bens ou serviços que atendam a produção, como a aquisição de maquinário, melhoria da infraestrutura da propriedade e outras necessidades para ampliar a produtividade.

Sua abrangência:

Consórcio de serviços: Já pensou em fazer um?

Crédito de industrialização – destinado exclusivamente para atividades de industrialização de produtos agropecuários, sendo necessário que 50% da produção a ser beneficiada seja própria.

Pode atender cooperativas ou agroindústrias para o financiamento das despesas inerentes ao processo de industrialização ou beneficiamento de produtos agropecuários.

Sua abrangência:

Crédito de comercialização – é o tipo de crédito rural que oferece condições para facilitar a comercialização dos produtos, garantindo até que os preços e condições possam ser mais bem planejados.

Sua abrangência:

Análise de Crédito

Depois de entender o que é e quais os tipos de crédito rural, você está pronto para solicitar o seu?

O próximo passo é pedir uma análise de crédito e para isso são exigidos alguns documentos e especificações.

Saiba quais são eles e já deixe tudo separado, assim o processo fica mais ágil.

A Rural Pago oferece crédito rural e conta com equipe altamente treinada para tirar todas as suas dúvidas em relação ao tema. Faça contato e saiba mais acessando ruralpago.com/credito-rural

Fontes: Rural Pago; Lavoura 10; Datacoper; Broto; Nagro; e Via Certa.

Seguro transporte é um aliado do proprietário da carga e de transportadora

Investir na segurança do patrimônio, independente de qual seja ele e de como esteja constituído, deve ser uma preocupação de todos, e isso se aplica também para os casos de seguro transporte.

Essa modalidade proporciona que o segurado seja indenizado por possíveis prejuízos causados aos bens que foram segurados, e sofram avarias durante o seu transporte, seja ele em via terrestre, aérea, ferroviária ou hidroviária, em caráter nacional ou internacional, de acordo com o contrato.

Além da cobertura básica, o seguro transporte pode vir com coberturas adicionais. Um exemplo é quando a cobertura se estende para o período em que a mercadoria permanece em armazéns, antes de seguir viagem.

Outra viabilidade do seguro transporte é que, além de poder ser contratado pelo proprietário da mercadoria, também pode ser pelo embarcador, as transportadoras, ou mesmo profissionais que atuam com transporte de cargas podem fazer a contratação.

Em ambos os casos existe mais de um tipo de seguro de transporte, saiba mais sobre eles.

Para embarcadores:

Para transportadores:

Ele garante ao transportador o reembolso por danos à mercadoria em consequência de acidentes.

Seguro Penhor Rural cuida do patrimônio que está como garantia de crédito

Se você está em busca de seguro transporte, a Rural Pago pode ajudá-lo. Somos uma plataforma tecnológica multinegócios, e entre esses negócios está a comercialização de vários tipos de seguros.

Nossa equipe é altamente treinada para esclarecer todas as dúvidas de quem pretende contratar um seguro online.

Se você quiser saber mais sobre essa e outras possibilidades, e fazer um orçamento sem compromisso, entre em contato acessando ruralpago.com/seguros

Seguro Transporte

De forma geral, quando acontece algum problema com a carga, a indenização via seguro transporte, leva em média 30 dias.

Para isso é preciso apresentar a documentação que traz as condições da apólice, ficando claro o ocorrido que deve ser reembolsado.

Em alguns casos podem ser exigidos documentos complementares e, então, o prazo deve ser constado a partir da entrega dessa nova documentação.

Existe uma grande variedade de coberturas que envolvem o seguro transporte, e podem ser básicas ou adicionais. Confira algumas delas.

Coberturas básicas do seguro transporte:

Coberturas adicionais do seguro transporte:

Você tem protegido seus bens através do seguro transporte? Ou faz apenas a parte obrigatória por lei?

Lembre-se que o risco de perder uma carga e todo transtorno que isso pode gerar, é sempre mais desconfortável.

Fontes: Rural Pago; Susep – Superintendência de Seguros Privados; Revista Apólice; Rodobens; Frete com Lucro; Maxitrans; e Asteca Seguros.

Consórcio de serviços: Já pensou em fazer um?

O princípio do consórcio é formar um grupo que tenha interesse em um bem específico e, para isso, se une financeiramente, e isso também se aplica em casos de consórcio de serviços.

A pessoa interessada paga uma parcela, durante um determinado tempo, até que chegue o momento de adquirir o serviço que deseja.

O valor e quantidade de parcelas irão variar de acordo com o que se pretende conquistar, a quantidade de pessoas no grupo, e o tempo total para fechar a soma financeira do consórcio de serviços.

Os sorteios são realizados mensalmente, sendo que um dos membros do grupo será contemplado de cada vez, podendo demorar mais o menos tempo para chegar a sua vez, pois depende da sorte de cada um.

Outra maneira de conquistar sua carta de crédito, e ser contemplado pelo consórcio de serviços mais rapidamente, é fazendo lances.

Diferente do que acontece em outros segmentos de consórcio, no de serviços, como o próprio nome sugere, não se é contemplado com um bem, mas com um serviço específico.

Uma regra para ser contemplado, que não pode ser esquecida é a necessidade de manter as parcelas pagas em dia.

O consórcio de serviços tem bastante flexibilidade abrangendo áreas bastante distintas.

Saiba como o seguro rural funciona e invista na proteção dos seus negócios

A ABAC – Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios, em pesquisa, concluiu que os serviços mais buscados são referente a reformas de imóveis, saúde e turismo.

Outras áreas que são bastante procuradas pelos contemplados são: assessoria financeira; desenvolvimento de sistemas; locação de veículos; treinamento; segurança; terraplanagem e aração de solo.

Consórcio de Serviços

Um grande diferencial de um consórcio de serviços é sua flexibilidade.

Antes de ingressar para um grupo fique atento para todos os detalhes do contrato, assim não terá qualquer surpresa desagradável durante o período.

Algumas coisas que precisam estar claras são:

E lembre-se da importância de fazer negócio com empresas sérias, que esclareçam todas as suas dúvidas, e que possam ter sua idoneidade checada, para não correr o risco de ser lesado.

A Rural Pago é uma plataforma tecnológica multinegócios, que trabalha para levar aos seus clientes uma vasta gama de produtos e serviços financeiros, visando facilitar e desburocratizar a vida do produtor rural.

Entre os seus produtos está o consórcio, para que os produtores possam investir e expandir os seus negócios. Para saber mais entre em contato com a nossa equipe através do ruralpago.com/consorcios

Consórcio de serviços vale a pena?

Se você está se perguntando se vale mesmo a pena investir em um consórcio de serviços, destacamos alguns pontos a serem avaliados com critério, e tomar a melhor decisão.

Você já entrou em um consórcio de serviços? Pensa em entrar? Avalie os prós e contras do que se encaixa no seu bolso e objetivos, e invista na realização dos seus objetivos.

Fontes: Rural Pago; Blog do Consórcio; iDinheiro; Suno; Consórcio Canopus; Rancon

Tecnologia ambiental estimula menor degradação dos recursos naturais

A preocupação de cuidar melhor dos recursos naturais, com foco na sustentabilidade, tem impulsionado a busca pela tecnologia ambiental.

O objeito é proteger a biodiversidade de forma mais efetiva, podendo também investir em ações que levem a uma menor degradação e maior recuperação da natureza, como um todo.

A tecnologia ambiental tem ganhado força como uma aliada desse desenvolvimento sustentável, podendo ser aplicada em diferentes frentes de ação.

Diminuir o consumo de energia, reaproveitar os recursos e subprodutos, reduzir a emissão de poluentes, eliminar os resíduos de forma mais eficiente e menos danosa, são apenas alguns exemplos do que pode ser melhorado com a tecnologia ambiental.

E mais do que isso, através de sua aplicação torna-se possível fazer um levantamento de informações e monitorar áreas produtoras de poluentes, oferecendo soluções eficazes e mais seguras para diminuir os impactos.

Dados mostram que, nos próximos anos, o uso da tecnologia ambiental pode contribuir para a redução, entre 25 e 80%, da emissão de gases que causam o efeito estufa. Isso significa um impacto até 50% menor na camada de ozônio.

E quando falamos na melhora do meio ambiente temos que pensar no quanto isso impacta na vida de todos nós, afinal, somos os habitantes desse espaço.

Exploração de recursos e consumo responsável devem ser um compromisso de todos, não apenas das grandes empresas, pois a existência de cada um, impacta o meio ambiente de alguma forma.

Um exemplo: diante do isolamento social imposto em 2020, a emissão CO2 diminuiu 15%. Será que você tem feito a sua parte, no seu cotidiano?

Certificações Ambientais

Ao falarmos de tecnologia ambiental é importante destacar algumas certificações que comprovam esse compromisso com a gestão dos recursos.

Entre elas estão:

Tecnologia Ambiental

Muitas pessoas devem estar se perguntando: na prática, o que a tecnologia ambiental já disponibiliza hoje, que pode ser agregado às indústrias e até mesmo ao cotidiano?

Acompanhe alguns exemplos abaixo.

Deixando as substâncias químicas tradicionais de lado, os inseticidas biológicos são focados apenas no combate aos insetos, sem prejuízo a outros seres vivos.

A Embrapa – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária têm trabalhado para desenvolver soluções para as lavouras, de forma eficaz e com tecnologia ambiental.

E o melhor, ele pode ser transformado em energia elétrica e térmica, bastando fazer a instalação de placas com células fotovoltaicas.

Esse é um exemplo de tecnologia ambiental que tem ganhado cada vez mais espaço, tanto em empresas como em residências.

Além de ser uma energia limpa, ainda significa, em médio e longo prazo, uma economia financeira bastante interessante.

A Rural Pago tem uma equipe altamente treinada para responder suas dúvidas sobre energia solar, e fazer orçamentos. Para saber mais entre em contato através do ruralpago.com/energia-solar

Elas poluem menos durante a fabricação e também no momento do descarte, e ainda duram mais e consomem menos energia.

Energia solar fotovoltaica: Converta sol em eletricidade

Com alto teor de metano, pode ser convertido em eletricidade, pelo processo de cogeração, o que faz dele uma energia renovável.

A purificação de água, remediação de rejeitos e gestão da água em hidrometalúrgicas, tem contribuído para reduzir o impacto ambiental.

Busque mais informação sobre tecnologia ambiental e, mesmo que com ações menores, comece a fazer a sua parte, para que possamos viver de forma mais sustentável.

Fontes: Rural Pago; Revista Galileu; Tecnicon; Fundação Instituto de Administração; Ingram Micro; e Wikipédia.

Tecnologia brasileira: chegada do 5G deve trazer maior conectividade

A tecnologia brasileira deve ganhar um fôlego novo em 2022, isso por conta de algumas novidades que estão chegando, como o 5G, além do investimento do setor público e privado.

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações anunciou, em março, que será destinado quase R$ 1 bilhão para o desenvolvimento de pesquisas e ações em favor da ciência, tecnologia e inovação.

O montante vem do FNDCT – Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico e será investido em áreas de biotecnologia, internet das coisas, produção de imunizantes, agricultura e saúde.

Como ainda estamos em busca de vacinas mais eficientes, parte da tecnologia brasileira está ligada ao setor da saúde.

O que se espera para o decorrer do ano é que o Brasil seja independente na produção de vacinas, tanto as contra a covid-19, como outras, inclusive com o desenvolvimento de vacina de RNA mensageiro.

E quando se fala de tecnologia brasileira é preciso destacar o que a mais aguardada para o momento, inclusive pela cadeira produtiva do agronegócio, que é o 5G.

Agro 5.0: O novo passo da tecnologia para a expansão da produção agrícola

Com o homem do campo cada vez mais conectado, mas ainda com dificuldade de acesso rápido a internet em vários locais do país, o 5G pode fazer muita coisa mudar, acelerar os processos e tornar a rotina mais produtiva.

Um estudo realizado pelo IEEE – Instituto dos Engenheiros Elétricos e Eletrônicos, e apresentado em 2021, mostrou que 95% dos profissionais que atuam com tecnologia, e forma entrevistados, concordam que a inteligência artificial, junto com a machine learning e o 5G, serão os principais destaques do ano.

Embora a maior parte desses profissionais acreditem que a tecnologia brasileira ainda tem muito que expandir, é possível ver algum flash de luz no fim do túnel.

Mais do que ter uma internet rápida e eficiente, para acessar dados de planilhas e programas, o 5G auxilia em outras atividades ligadas ao trabalho do campo.

Um exemplo é a aplicação do 5G em veículos autônomos, podendo ser destinado também para as máquinas, impulsionando a tecnologia brasileira.

Outras áreas que a chegada do 5G deve impactar diretamente, de acordo com estudo do IEEE são:

Tecnologia Brasileira

Outras tecnologias que, a cada dia, estão mais inseridas em várias rotinas de trabalho é a internet das coisas e a realidade virtual.

E com os desafios impostos pela pandemia o setor de tecnologia brasileira entendeu a necessidade de se expandir e firmar, e um grande exemplo foi o boom do comércio eletrônico.

No primeiro semestre de 2021, o e-commerce movimentou R$ 53 bilhões, que acordo com pesquisa realizada pelo Ebit|Nielsen.

O que se vê analisando as movimentações é que não devem surgir grandes novidades na tecnologia brasileira em 2022, pois são ações que já estão em andamento, o que se espera é um desenvolvimento significativo delas.

Quem tem sentido falta de um investimento maior da tecnologia brasileira é a indústria.

Um levantamento feito pela CNI – Confederação Nacional da Indústria apontou que 14 dos 24 segmentos do setor estão defasados, quando se compara a adoção de tecnologias digitais, que acontece dentro e fora do Brasil.

Cibersegurança, sistemas integrados, impressão 3D, big data e até robôs autônomos estão na lista das necessidades que precisam ser melhoradas na tecnologia brasileira.

E você, tem acompanhado o comportamento da tecnologia brasileira? É importante entender como ela está se movimentando e até onde ela pode impactar na sua vida e profissão.

Quem atua no campo, e em outras ramificações do mercado agro, tem visto muitas mudanças nos últimos anos e precisa estar alinhado a elas, para seguir produzindo e lucrando.

Fontes: Governo do Brasil; Agência de Notícias Brasil-Árabe; Folha de Pernambuco; Forbes; Exame; Portal eMóbile; e Yank Solutions

Tecnologia na agricultura deixa lavouras mais produtivas e sustentáveis

A cada ano que passa novas ferramentas são direcionadas para aumentar a produtividade do agronegócio, e a tecnologia na agricultura segue em expansão.

Quem não acompanhou esse processo nas últimas décadas talvez não tenha notado, mas desde 1990 a tecnologia na agricultura começou a conquistar seu espaço.

Esse foi o momento que surgiram as preocupações com processos mais sustentáveis, que abriram espaço para a automação digital.

Assim começaram as coletas de dados e a acompanhamento da produção das lavouras, bem na “ponta do lápis”, o que mostrou que a tomada de decisões poderia ser facilitada.

Mas a partir de 2010, a tecnologia na agricultura ocupou seu lugar de forma definitiva, com sistemas integrados capazes de otimizarem a produção.

Hoje, nas médias e grandes propriedades, o investimento em tecnologia na agricultura é algo rotineiro e os produtores estão abertos para as novidades.

Você sabe o que são as AgTechs e como elas podem auxiliar o seu negócio?

Máquinas autônomas, drones e robôs exigem sim um investimento financeiro, mas o setor já entendeu que isso está longe de ser um gasto, porque o retorno que proporcionam vale cada centavo aplicado.

O conceito de tecnologia na agricultura, utilizado hoje, também é chamado de agricultura 5.0, que tem como objetivo primário, produzir cada vez mais, em espaços menores.

Um estudo da McKinsey sobre a agricultura brasileira, e o comportamento dos produtores e gestores, revela indicadores que devem ser considerados. Confira:

Tecnologia na Agricultura

Quando se fala em tecnologia na agricultura a primeira coisa a se destacar é o aumento da produtividade, mas é preciso entender que existem vários outros benefícios a serem considerados.

Tecnologias que mudaram a agricultura

Algumas tecnologias na agricultura estão mudando a realidade do campo, e toda a cadeira produtiva do agronegócio.

Separamos algumas que estão causando grande e positivo impacto. Acompanhe:

Exige maior necessidade de água ou algum nutriente para o solo? Alguma ameaça de praga? Os sensores conseguem fazer monitoramento em tempo real, agilizando a solução de possíveis problemas.

Entre suas funcionalidades está a de armazenar informações detalhadas, que envolvem todos os processos que acontecem dentro da propriedade, e também fora, mas que podem impactar a tomada de decisões.

Por essa tecnologia na agricultura, é possível contar as plantas, mediar a altura da plantação, e checar se os pesticidas estão sendo eficazes.

Muitos tratores já trazem vários sensores altamente sofisticados, auxiliando no trabalho.

Mas a tecnologia na agricultura tem se desenvolvido para apresentar ferramentas mais eficientes e precisas, que irão desenvolver atividades com maior performance e exatidão, além de operarem de maneira a consumirem menos energia/combustível.

Outra vantagem dos equipamentos autônomos é que, diferente dos humanos, eles não precisam de turnos de descanso.

E você, já investe em tecnologia na agricultura? Se ainda não, fique atento e informe-se sobre as que mais poderiam fazer seu agronegócio expandir.

Fontes: Pix Force; Monitora; Agro Inteli; Jacto; e Fundação Roge.

Seguro responsabilidade civil: saiba o que é e a importância de contratar

O seguro responsabilidade civil tem conquistado um espaço cada vez maior, e se tornado mais comum.

O objetivo do seguro de responsabilidade civil é garantir que o segurado seja indenizado, em casos que envolvem danos corporais ou materiais, que sejam causados a terceiros de forma não intencional.

Com isso, fica evidente sua importância para empresas, pois através dele é possível proteger os colaboradores que realizam atividades que representam algum risco.

Mas o seguro responsabilidade civil se aplica também a várias outras modalidades, que podem incluir desde obras até crimes cibernéticos, passando por produtos e o segmento ambiental.

O crescimento pela busca do seguro responsabilidade civil pode ser visto através dos dados da Susep – Superintendência de Seguros Privados, que apontam um aumento de 175% entre 2015 e 2020.

Seguro Responsabilidade Civil

Antes de falar mais detalhadamente sobre o seguro é importante entender o que é responsabilidade civil.

Ela pode ser definida como uma forma de arcar sobre possíveis danos causados a outras pessoas.

Assim, o seguro responsabilidade civil se dá pela aplicação de medidas capazes de determinarem que uma pessoa é obrigada a reparar um dano, que foi causado a um terceiro.

Esse dano pode ser material, ou seja, que tenha atingido algum patrimônio, ou moral.

Quanto à contratação do seguro de responsabilidade civil, ela pode ser de duas formas:

Assim como outros tipos de seguros, o seguro serve para resguardar as pessoas diante de situações imprevisíveis, estendendo essa tranquilidade a terceiros.

Quando investir em seguro responsabilidade civil?

Mais do que indenizar possíveis vítimas por danos causados pelo segurado, de forma culposa, ou seja, sem intenção, o seguro, garante a proteção do patrimônio e do segurado.

Se você é gestor de um negócio que pode gerar algum acidente de trabalho, fique atento para estar resguardado.

Para propriedades rurais, especialmente as maiores e com mais colabores, o seguro responsabilidade civil é uma segurança na qual vale a pena investir.

Aqui estamos citando apenas um exemplo, entre tantos outros onde cabe esse tipo de seguro.

E para que o investimento atenda suas necessidades, fique atento para que o seguro responsabilidade civil garanta algumas coberturas fundamentais.

Alguns exemplos são:

Franquia Agro é uma forma de investir no agronegócio mesmo longe do campo

Antes de fechar o contrato com uma seguradora, fique atento aos detalhes, e tire todas as suas dúvidas quanto à cobertura do seguro responsabilidade social.

Na apólice deve estar indicado o valor máximo a ser custeado, lembrando que a cobertura pode apresentar diversas variações, dentro do próprio produto.

Fique atento para que a proposta esteja clara e contenha as obrigações e restrições quando aos direito do segurado.

A Rural Pago tem parceria com as melhores seguradoras do mercado, e pode oferecer o melhor custo x benefício para o seguro responsabilidade social. Clique aqui para falar com um de nossos consultores.

Fontes: Minuto Seguros; Migalhas; BWG; e Tuia Seguros.

Agro Brasil impulsiona a economia e abre oportunidade para investidores

A força do agro no Brasil ficou ainda mais evidente no ultimo ano quando, mesmo diante de tantas oscilações da economia mundial, ele seguiu crescendo.

O impacto do agro foi visto no Brasil pela sua participação no PIB – Produto Interno Bruto, que alcançou 26,6%.

Para 2022, dados da Fundação Getúlio Vargas mostram que o agro do Brasil deve ter um crescimento de 5%.

Um fator importante, que será fundamental para impulsionar esse crescimento está aliado ao clima, já que existe uma previsão de mais chuvas para o período, depois de uma grande crise hídrica enfrentada em 2021.

Ainda com esse cenário mais positivo para a produção do agro do Brasil, o crescimento do PIB geral não deve ultrapassar 1%, pois embora o agronegócio siga em alta, outros setores seguem com muitos desafios, o que tem dificultado a recuperação, devido aos impactos sofridos com a Covid-19.

Agro Brasil

Projeções realizadas pela CNA – Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil mostram a possibilidade de uma safra de grãos recorde, com um crescimento estimado de 14% em relação ao ano de 2021.

A pecuária, que é outra força do agro do Brasil também tem expectativa alta, com um crescimento de faturamento de 22%, no gado de corte.

E mais, é esperado um aumento de 47% no setor aviário, e 20% na produção dos suínos.

O impacto do agro para a economia do Brasil se deve também ao fato de sua produção ultrapassar as fronteiras, ganhar o mundo e conquistar o posto de maior exportador líquido global de produtos da cadeira do agronegócio, com expectativa de ter atingido US$ 122 milhões em exportação, no ano passado.

Agronegócios vão muito além do campo e atraem profissionais diversificados

O seu principal produto exportado foi a soja, seguida pela carne, celulose, açúcar, café, algodão e milho.

Os principais clientes do agro do Brasil, em solo estrangeiro são: China (36%), União Europeia (15%) e Estados Unidos (7%).

Se o clima ajudar, a expectativa é de que o cultivo de grãos alcance 72,3 milhões de hectares de área plantada, podendo resultar em um recorde de produção, com 300 milhões de toneladas em 2022.

Agro Brasil impulsiona a economia

A economia é diretamente impactada pela ação do agro no Brasil, com isso, muitas pessoas são atraídas a investirem no segmento.

Mas como fazer isso se você não é um produtor rural, e nem mesmo tem atividades que estão inseridas na cadeira produtiva do setor?

Uma opção é investir em ações que estejam alinhadas com o agro do Brasil, e se beneficiar desse mercado que segue em ascensão.

Separamos algumas opções de destaque, mas lembre-se que, antes de investir em qualquer uma delas é preciso estudar melhor sua rentabilidade e riscos, e isso só possível contando com a orientação de um profissional da área.

Fique atento, pesquise e veja a que melhor se identifica com as suas expectativas:

Fontes: Canal Agro; Money Times; CNN Brasil; Perfarm; e Sicredi.